12 Aldeias Históricas


Aldeias Históricas de Portugal voltam a celebrar a cultura, as tradições e o património


As festas estão de regresso às Aldeias Históricas de Portugal! Entre junho e novembro, a cultura, a gastronomia, as tradições, os costumes, o património, as lendas e os mitos de cada uma das 12 aldeias que integram a rede, voltam a ser o mote para mais uma edição – a quinta! – do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”. Uma dúzia de eventos que estão a ser preparados para a participação presencial de público, ainda que mantendo a aposta no “live streaming”, que se revelou um sucesso em 2020.


Quando o desconfinamento for uma realidade, às Aldeias Históricas de Portugal não faltam argumentos para serem um dos destinos de eleição dos portugueses. Para além da maior segurança que um destino não-massificado proporciona, há muitos segredos para descobrir ou simplesmente redescobrir: a História e o extraordinário património edificado; a natureza ainda intacta pronta a ser experienciada em atividades de lazer, desporto ou aventura; a gastronomia e os vinhos identitários; mas também diferentes propostas de cultura e animação.


Nesse particular, destaque para o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”. Uma iniciativa que, pelo quinto ano consecutivo, celebra e promove o património cultural material e imaterial das Aldeias Históricas de Portugal, através de uma programação cultural genuinamente diferenciadora, assente em animações diversas, como visitas teatralizadas, workshops, novo circo, música e, claro, na gastronomia.


Com início a 5 de junho, em Trancoso, e término a 6 de novembro, em Monsanto, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” percorre as 12 Aldeias Históricas que compõem a rede. E à semelhança das edições anteriores, como ponto de partida de cada evento estará sempre algo que pertence à memória coletiva de cada aldeia, como uma personagem, uma lenda ou um conto tradicional, um acontecimento histórico ou um elemento patrimonial. Ou seja, a História, mas também as estórias e as lendas do território vão sair dos livros e do imaginário da comunidade e ganhar vida nas ruas de cada aldeia.


Uma iniciativa, que tendo em conta a conjuntura, também constitui uma excelente oportunidade para ajudar à recuperação e dinamização económica do território, uma vez que será realizada com “portas” abertas ao público, se as regras de desconfinamento assim o permitirem, mas nunca descurando a segurança sanitária e a aplicação das medidas que, na altura, estiverem em vigor. Nesse sentido, recorde-se que, em 2020, as Aldeias Históricas de Portugal foram o primeiro – e único! – destino em rede do país a implementar um rigoroso plano operacional de combate à Covid-19, com o objetivo de reforçar as 12 aldeias da rede como destino seguro e sustentável.


No entanto, indep