A pé ou de bicicleta: rotas de descoberta no Centro de Portugal

Quer seja amante de caminhadas ou de passeios de bicicleta, estas rotas pelo Centro de Portugal convidam a descobrir, sem pressas, um território único, cheio de tesouros e segredos.


Pode demorar um dia ou duas semanas. Partir à descoberta por si próprio, percorrendo quilómetros de história e paisagem, a pé ou de bicicleta, ou recorrer à ajuda de quem conhece bem o território para desvendar lendas e mitos, desportos radicais e grutas, ofícios tradicionais e mergulhos em locais desertos, tasquinhas e vinhos. São vários os percursos, muitos os quilómetros e diverso o enquadramento destes passeios, com tanto para descobrir. Uma viagem de descoberta a partir da plataforma Portuguese Trails, onde encontra guias, mapas e tracks, disponíveis para download.

Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal

As 12 aldeias históricas por onde passa são uma verdadeira viagem pelo passado e a tradição, um regresso à origem envolvido por silêncio e natureza. A sensação prolonga-se pelos 600 km de um traçado circular dividido em 12 etapas, que podem ser exploradas ao ritmo de cada um, a caminhar ou de bicicleta. Além de percorrer caminhos ancestrais por paisagem de grande beleza, entre Natureza e património. Com um pé dentro e outro fora do caminho, aventure-se a ir ainda mais longe com os programas propostos por quem conhece bem os locais, no ambiente bucólico das Aldeias Românticas da Raia, uma viagens de 8 dias de descoberta. Pode prolongar a estadia por 14 dias aprendendo um ofício tradicional numas férias verdadeiramente criativas, quer seja em oficinas de artesãos, cursos de pintura e fotografia ou festivais de arte. Também há programas de curta duração, para explorar durante meio ou um dia, descobrindo a Rota das Tradições do Xisto nas aldeias de Góis ou da aldeia que viveu séculos isolada do Mundo: Piódão. Conheça todos os parceiros, preços e duração dos programa ao longo da Rota das Aldeias Históricas.

Grande Rota do Zêzere

O caminho entre a nascente e a foz do Rio Zêzere começa na Serra da Estrela e só termina em Constância. São 370 quilómetros de Natureza sublime e diversa, marcante em cada um dos 13 concelhos por onde passa, pontuado por albufeiras, barragens e praias fluviais que refrescam a jornada. Outras tantas Estações Intermodais servem de apoio e organização ao percurso que pode ser feito de forma contínua, ou por etapas, havendo ainda a possibilidade de, a partir daqui, descobrir outras rotas que se cruzam. Ao longo do trilho, que pode ser feito a pé ou de bicicleta (com grau de exigência elevado, diversas empresas apoiam-no na realização de atividades paralelas, como ir de bicicleta elétrica de Constância até à Estrela, desvendar os segredos do Vale Glaciar da Serra, ou deslumbrando-se com a paisagem granítica ou seguindo a rota dos Apalaches, numa aventura que dura sete dias. Descubra todas as possibilidades da Grande Rota do Zêzere.

Grande Rota do Vale o Côa

Conhecido pelas gravuras que imprimiram a história ao longo deste território, revelando que os acestrais já o tinham escolhido como local perfeito para habitar, este é um percurso que nos conduz a outro tempo, em que tudo o que havia era o homem, a Natureza, e a sua imaginação. Classificado Património da Humanidade desde 1998, o Vale do Côa é considerado “o mais importante sítio com arte rupestre paleolítica de ar livre” e nesta rota, que se prolonga por 222 kms, pode explorá-lo a pé ou de bicicleta, da nascente à foz do Côa ou em sentido contrário. Locais marcantes como a Reserva Natural da Serra da Malcata, o castelo do Sabugal, a Reserva da Faia Brava, o Parque Arqueológico do Vale do Côa e o Douro Vinhateiro podem ser explorados em profundidade e ao seu próprio ritmo, num só dia ou numa viagem mais prolongada. Conheça todas as possibilidades deste trilho na Rota do Vale do Côa.

Ecopista do Dão

O percurso é relativamente curto. São “apenas” 50 quilómetros, mas o interesse deste trilho não está limitado à sua extensão. Pela Ecopista do Dão fora há história e atualidade para descobrir. Parte do percurso faz-se pela Linha de Caminho de Ferro do Dão onde é possível apreciar muitas estruturas ferroviárias bem preservadas e até uma locomotiva a vapor. Outros marcos na paisagem são as aldeias, vinhateiras e agrícolas, que encontra pelo caminho, recomendando-se vivamente que visite algumas das adegas. Abraçada pelas serras da Estrela e do Caramulo e acompanhada pelos rios Dão e Mondego, oferece muitas programas para ir mais além. Explorar a encantadora Serra do Buçaco em duas rodas, combinar a viagem de bicicleta com um percurso de comboio ou percorrer parte da pista com transfer de regresso são algumas possibilidades a ter em conta na Ecopista do Dão.

Eurovelo 1 - Rota da Costa Atlântica Entre a beira-mar e as matas e pinhais que a acompanham nesta zona do país, a viagem pela costa é refrescada pela maresia. Mas o interesse do percurso está longe de se esgotar no mar. Há história de várias épocas para descobrir, desde o tempo dos Dinossauros até aos castelos de contos de fadas que imaginamos habitados por reis e rainhas, príncipes e princesas. De Santa Cruz, em Torres Vedras, até ao Vimeiro, de Peniche ao Cabo Carvoeiro, sucedem-se as paisagens espetaculares. Mais acima, do caminho se avistam as Berlengas e a paisagem marítima que culmina na Foz do Arelho, passando por Óbidos e Caldas da Rainha. Outro percurso estende-se pelas agradáveis praias de S. Martinho do Porto a S. Pedro de Moel. Recomece as pedaladas ou a caminhada passando pela marginal de Vieira de Leiria ou pelo interior, atravessando o Pinhal do Rei. A viagem pode ainda prosseguir da Figueira da Foz à praia de Mira. Para seguir para a secção seguinte, é preciso embarcar no Ferry que faz o percurso entre o Forte da Barra e São Jacinto. O último percurso desta Rota da Costa Atlântica na região Centro, parte da Reserva Natural das Dunas de São Jacinto seguindo sempre junto à Ria de Aveiro até Ovar.

Este artigo contou com o apoio do Turismo Centro de Portugal


Artigo Original